Alexia e Tutu - Apocalipse Tau (parte IV) - Fim - Fin - Le Grand Finale - PUM

A loura estacou, semicerrando os olhos na direcção do seu antigo companheiro. A dúvida pareceu surgir na sua mente, imobilizando-a. Tranco, aproveitando o momento disparou vários raios da sua arma na direcção do peito de Alexia, que refulgiu ricochetando, acertando em cheio em S.P. Fronhé, que cacarejou de dor. Tutu atirou-o com violência para o chão, e limpou as lágrimas.
- Pai... não... – guinchou Alexia, correndo para junto de S.P. Fronhé, que apresentava um ferimento na cabeça – não me abandones...
- Nã nã nã, nada disso – gemeu o indiano – burro velho não aprende, nem morre assim... Dá-me aí o cachimbo!
- Ele não é teu pai Alexia!! – disse Victor Gina – É um criminoso... um monstro!
A loura pousou carinhosamente o moribundo, que parecia aliviar a sua dor puxando ávidos bafos do seu cachimbo, e levantou-se, com um olhar perigoso na direcção de Tranco
- Vais-me pagar!! – gritou, correndo na direcção da traidora de Fronhé. Contudo, a meio caminhou estacou quando um vulto lhe saltou para as costas – Mas, mas o que é isto??
- Minha Deusa!! – disse um Guarda Régio cheio de desejo, que se agarrava solidamente às costas e ao rabo de Alexia – Não vou morrer sem te possuir! Ahhh!! – Gemeu de prazer à medida que cavalgava a loura, tentando romper as suas protecções metálicas traseiras. Alexia, furiosa, saltava, bufava e mandava-se contra a parede, desesperada por não conseguir ver-se livre do GNR tarado. Tutu correu na sua maneira caraterística, e com um só movimento violento carregado de ciúmes arrancou Régio de cima de Alexia e atirou-o contra Cléo, que estava deitada junto à parede.
- Olá beleza – disse o GNR com um olhar reluzente para a informadora da esquadra de Monsanto, saltando-lhe de seguida para cima.
- Parem!! – gritou Laura Tranco – Lá em baixo!! O outro prisioneiro está a correr na direcção dos reservatórios de hidrogénio, e parece ter uns... explosivos!! Se lá chega é o nosso fim, fazemos uma cratera que se vê da lua!!
- Ããããã... esse não é o agente do posto de Sintra? – perguntou Tutu
- Não, eu sei quem ele é – disse Victor Gina, olhando pela janela – O seu nome é Stefalo, e pertencia a um grupo rival de Fronhé, que este aniquilou, controlado pela Calimera Escarros. Se ele aqui está, o seu pensamento é só um, o da vingança!!!
- Ãããã... Alexia... por favor – suplicou Tutu – só tu o podes parar... Em nome de todos os momentos que passamos juntos... especialmente aqueles em que estavas de joelhos...
Alexia pareceu ter uma sensação de reconhecimento, e hesitou. Olhando para Tutu uma lágrima escorreu pela sua face. Aproximando-se da janela, pareceu tomar uma decisão e saltou, aterrando no pátio do edifício Aparte Mental com toda a suavidade que do uso dos seus propulsores anais lhe permitiam. Com alguns saltos colocou-se entre um surpreso Stefalo e os reservatórios de hirogénio.
- Mas... olha quem é ela! – disse o desnudado louco – Com um novo look desde que me abandonaste lá atrás depois do fellacio, mas o mesmo ar cabresco! Vens para o fogo de artifício final é?
- Venho... para te parar - sibilou Alexia – a bem... ou a mal!
- Tu??? Minha reles, não és adversária para mim, vou explodir com tudo, tudo!!! –. e sem hesitar lançou três jactos de bromo na direcção da loura, que se esquivou, embora com alguma dificuldade. O perigoso líquido foi acertar mais atrás nas partes baixas do corpo de Arata, que gemeu dolorosamente. Ao fazer menção de avançar na direcção de Stefalo, o louco gritou para Alexia.
– Para!! Toca-me e estes bébés susceptíveis vão dar-te uma nova cor a esse rabinho!! - disse, dando umas palmadinhas nos frascos de nitroglicerina, enquanto disparava inúmeros jactos da sua arma. A loura foi obrigada a dançar por entre os feixes, que lhe foram rasando e ferindo alguns pontos do corpo, até que com um salto conseguiu agarrar a pistola e lutar pela sua posse com Stefalo.
- Não conseguirás! Não conseguirás! – gritava Alexia, ferida, enquanto o ex-prisioneiro ripostava, os dois bem juntos – Ah ah ah! Quanto mais abanamos, mais perto ficamos de ir pelos ares! Ah ah ah!
Os dois vultos lutavam furiosos, não se apercebendo que Arata se levantava, furioso e cheio de dores quer pela sua virilidade agredida, quer pelo seu almoço que nunca mais chegava. Uivou assustadoramente enquanto carregou sobre os dois inimigos que, apanhados de surpresa, foram arrastados pelo gigante na direcção dos reservatórios de hidrogénio. Um cambaleante e muito ferido Arães, observando pela janela do 7º andar, conseguiu antes do impacto e da grande explosão lançar um grito que se ouviu por quilómetros e quilómetros
– Ca putááááááááááááááááááááááááááááááááááááááááá!


No dia seguinte, algures no Norte do País

Uma mulher pequena, magra, postulenta e de idade avançada entrou na sala. Trazia um vestido simples, usando por cima um avental velho e sujo, e na mão um tabuleiro com pastéis de nata ressequidos. Aproximou-se do cadeirão que se encontrava junto a uma janela, no qual se encontrava alguém a fumar um charuto.
- Então jovem, coma lá um pastelinho para comemorar – disse a recém chegada num sotaque característico, atirando para cima da mesa um jornal onde a manchete era acompanhada por uma fotografia de um edifício destruído e em chamas.
- Excelente, excelente, Dona Crosta! – respondeu o outro também de idade avançada, de barbas e usando uns calções que pareciam mais umas fraldas – Não há nenhum sobrevivente?
- Ò Doutor Xanana do Infarmed, nem um... – esclareceu – Vá coma, tenho ali mais uns mistos e umas sandochas, tem que se alimentar bem que agora vamos ter muito trabalhinho, o mercado das ervas sintéticas é nosso – disse, gritando para a porta no seu vernáculo habitual – Ò Rato, traz os panadinhos!
Uma gargalhada maquiavélica ecoou, à medida que um plano zoom out (que só é possível nos filmes mas que me apeteceu estupidamente referir aqui porque vou acabar esta trampa agora) se afastava do edíficio.


Comentários

Chas. disse…
Que final explosivo. :P
Captain Dildough disse…
Magistral!
De momento não me lembro de mais a nada a não ser... o Xanana do Infarmed! Temos um novo Cancer Man?
alphatocopherol disse…
mas cá putáááááááááá de final
Anónimo disse…
E BUM! Acabou a saga e logo num dia em que o Benfica não jogou! (Pode ser que assim sejamos campeões...)

Mensagens populares deste blogue

Super Homo - parte o 1º

Super Homo - Apre!

Acordar precoce e naturalmente...