Gésica a curandeira - Final

O quarto decorado com imensas folhas e flores de plantas secas proporcionava um ambiente muito agradável e selvagem. A cama enorme onde cabiam perfeitamente quatro pessoas era dura. No entanto dentro daquele espaço o que mais atenção despertou aos jovens foi o chão, macio como borracha, muito confortável para dormir.

Os jovens sentaram-se no chão e começaram a conversar.

- Ó Jójo, que faço agora?! Ela é mesmo boa pá!! Qual é a técnica de penetração que Bertrand Russel utilizava?! – Perguntou Sergay bastante ansioso.

- Bertrand Russel? Não estas a falar do mesmo homem que eu estou a pensar?! – Responde Jójo bastante confuso com a pergunta – Vamos é esperar que ela volte a entrar. – Concluiu ele.
- Devia estar a confundir com Freud?! Já sei vou fazer um desenho... – Sergay saca de uma folha e um lápis que trazia no bolso de trás das calças e matou a ansiedade em marcas suaves. Em menos de um minuto uma BD completa estava concluída.
- Deixa ver o que fizeste seu “BDniaco”. - Jójo em tom de curiosidade arranca a folha da mão do seu companheiro. Uma bela referência Hentai, em que a personagem principal era Gésica. – Estás mesmo vidrado por ela pá! Vais lá … Partes a bilha toda!

Nesse preciso momento ela entra pelo quarto, ansiosa pelo que ia encontrar. Seus olhos expressivos voltaram-se na direcção dos dois rapazes. Estes ficaram imobilizados quando olharam para ela e ela estava nua.

- É isso que querem? – Perguntou ela adivinhando o desenho que Sergay tinha desenhado.
- Eu não, mas ele parece que sim. – Disse Jójo enquanto se dirigia para a porta e saindo do quarto.

Sergay corou, sem nada dizer, olhando fixamente para os lábios de Gésica, imaginando-a em cima de si.

- Ai é? E o que vês em mim? – Perguntou ela enquanto andava em torno de Sergay, tocando o indicador nos cabelos pretos do rapaz.

- Eu… bem… tenho uma visão meramente filosófica… quer dizer… eu vejo-a como minha deusa sexual. – Soltou ele algumas frases engasgadas pelo cheiro afrodisíaco da sua deusa.

Ela satisfeita pela sinceridade do rapaz pega na cabeça dele e encosta-a aos pêlos do seu sexo.
- Cheira, quero ver o que fazes comigo agora. – Provocou ela, reflectindo as pernas.

Sergay completamente drogado puxa-a para o chão, abre-lhe mais as pernas e lambe-lhe o sexo.

- SIM... Quero algo mais forte. – Ordenou ela no meio de gemidos suaves.

Ele despiu-se todo e com toda sua musculatura saltou para cima da curandeira, proporcionando uma luta Judo-Pornográfica. Gésica satisfeita pedia sempre mais, “mais fundo”, dizia ela.

Sergay num momento de inspiração arquitectónica, pega na sua parceira coloca-a de costas para si e penetra-a violentamente por trás.
- …Q… u… e… po…si..ção… é… est…aaa?- perguntou Gésica completamente histérica.
- Anal Gésica, anal!

E para grande males grandes remédios. Assim se inventou o Analgésico.

Comentários

Captain Dildough disse…
O_o

Confesso que não estava à espera deste final, nem tive tempo de desapertar os botões da braguilha!

Ainda bem que o Jójó saiu, ainda havia uma cena de ciúmes à custa de personagens ficcionais...

Quanto ao outro personagem, não posso deixar de me sentir identificado com ele... não sei porquê, não temos nada em comum!

E quem disser o contrário é rabo.
annie disse…
Ainda bem q jojó nao gostou da curandeira :P ANALgesico.. DUHHHHH ;)
Anónimo disse…
acho que a gesica tinha demasiado pêlo... Ficou para o Compelo :P
Anónimo disse…
Parece que quem foi CUrada foi a gésica... TAU!
Anónimo disse…
Parece que quem foi CUrada foi a gésica... TAU!
Anónimo disse…
Ui!

Mensagens populares deste blogue

Acordar precoce e naturalmente...