Harry Putta - Prisioneiro das Cabanas

Harry ainda estava borrado com o que tinha acabado de ouvir: " Trouxeste ao mundo a nossa Maior Rival! Uma Feiticeira temível! Vai ser o fim da Magia Sexual Tântrica!... Chamava-se Maria Inês quando humana".

Aquele nome não lhe dizia nada...

- "Maria Inês?! Vou procurar sobre essa criatura..."

Ainda era meio da manhã quando Harry entrou na "Dildo's Hardcore Library", a decoração interna era um pouco feminina, mas o seu odor corporal afastava qualquer interessada...
Depois de alguns minutos chegou a um humilde livro, de um autor chamado Sergay, "Circuncisado, violado e abandonado por Maria Inês - Deusa ou ET? ".

- "Que título estranho... Quem seria esta mulher?!"

A curiosidade foi acumulando com o que lia sobre ela.

- "Ninfomaníaca... investigadora de feromonas... aliens... mutação genética com esferas metálicas... replicação da raça Ganryubigu... Bolas esta tipa era um espectáculo de mulher!".

- Espera! O que trará ela desta vez! - berrou ele quando se apercebeu da sequência de acontecimentos! - "Ilnex falou em feiticeira... que poderes terá ela desta vez?!"

Cansado, sem ter descoberto factos mágicos de Inês, decidiu ir ter novamente com Ilnex. Talvez ela conseguísse complementar e associar outros dados.

Fora da livraria, Putta, deparou com um céu diferente: vermelho com nuvens sugerindo posições do Kamasutra em movimento.

- "Fantástico, tenho que aprender esta merda! Será ela!?"

Não sabia se haveria de continuar a caminhar ou parar e contemplar aquele espectáculo. Parou uns breves momentos...

- Vem ter comigo Harry! - uma voz vindo do nada entrou-lhe pela cabeça.

- "Vou onde? Com quem?"

Duas nuvens femininas vieram ao seu encontro estendendo-lhe a mão.

- Vem connosco divertir-te... - disse uma delas.

- És fofinho... vem... - disse a outra.

- Sim! - Os olhos dele ficaram vidrados perante aquele espectáculo.


Estendeu as mãos, elas agarraram e começaram a voar.
Lá em baixo a vila desaparecia... à sua volta, orgias molhadas e relampejantes multiplicavam-se... até que ele apagou...

Acordou deitado num espaço branco-acinzentado, com textura a nuvens. Estava nu e tudo era um imenso vazio, sem portas nem janelas.


- “Onde estarei eu?!”

- És nosso prisioneiro, fofinho... Em breve terás uma visita... - ecoaram as paredes.

- Um visita?! Quem? É ela, não é?! - perguntou ele em pânico.

- Ela não! Nós!

(não perca a continuação de Harry Putta em Gaita em brasa)


Comentários

alphatocopherol disse…
eheheheh! A maria inês nao nos larga mesmo!
LOL
Anónimo disse…
LOL Estes últimos posts têm cá sido uma salganhada de personagens! Estranho como a personagem "sergay" é elemento comum a muitas delas...
Chas. disse…
Isto são histórias relacionadas, pelo menos em relação as que eu retrato... portanto a Maria e o Sergay vão continuar a fazer parte delas... :D
Captain Dildough disse…
Mas que fixação com o Sergay! Já começo a ficar com comichão... Na mão!

(venha, venha a continuaçam...)

Mensagens populares deste blogue

Super Homo - parte o 1º

Super Homo - Apre!

Acordar precoce e naturalmente...