O Caçador

A escuridão caiu sobre a cidade numa húmida e fria noite de inverno. Ruelas antigas e degradadas pela perversa antecipação da quaresma, a noite dos mascarados - a mesma onde as pessoas se vestem delas próprias ou de estranhas personagens de ficção - onde deambulam travestidas, convivendo como criaturas insanas, imundas e talvez mesmo um pouco reais...

Cruzando e palmilhando algumas centenas de calhaus basálticos, encerados pela mistura nutritiva de malte e ureia, descortina-se o centro de toda acção festivaleira, o "The Ed Clip Ar", rico pela sua decoração electrizante, de aglomerados capilares e amostras viris, sofás envernizados com açucares diversos e um basto balcão embalsamado com criaturas dependentes de refresco.

Ao som de alguns acordes de grunge e vozes grotescas, ocultas no nevoeiro do tabaco, conhecidas personagens convergem num recanto memorável.

Directamente do seu Bar, o Bordas Alargas, Sergay reeditou a sua fantasia "O prostituto de luxo", com o seu curto e sensual vestido rosa, cabeleira albina, tufo moreno cobrindo o peito, pêlos entrançados nos sovacos, chapéu de chuva vermelho para a noite húmida e as suas famosas sapatilhas desportivas para as rapidinhas/escapadinhas. A acompanhar dois assistentes Xópalo e Guiverme. Xópalo, era a versão máscula de Sergay, era ele que fazia a selecção das mulheres para o seu líder. Guiverme, servia de espantaconado, demasiado eficiente e assertivo no afastamento de atraentes exemplares do sexo feminino.

Arães, terrivelmente Zombie (requer consulta bibliográfica), regressou do mundo dos quase mortos (após ataque de Dona Crosta) para o encefálico reencontro tântrico com Sergay e suas amigas. Teve algumas dificuldades acrescidas com mulheres, Guiverme criou bastante entropia.
Nalgatorius & Pacheca após 4 anos e 4 meses de um insaciável isolamento carnal tiveram a sua primeira aparição púbica, como sempre, recheada da mais perversa conversa e ramboiada.
No meio deste festim saudável apareceu "O Caçador", um puritano, pseudo autista surrealista que tinha por hábito sair à rua com o objectivo de limpar as suas lentes oculares. Munido da sua temível espada flexível, a Spermword,  capa preta e impermeável, telemóvel com ligação à internet e aplicação do facebook, O Caçador espalhou o caos em todos os equipamentos electrónicos do bar. Após um clássico de Grunge acutilante começou a trautear a sua musica evangélica preferida "Teso Rigor e Repente":
Que, de súpeto dicir: Eu xuro que paneleiro boiolaaínda nacido un pouco de machoun de nós é un paneleiro. Non tema a glande de catro. Primo-Imos, nós transamos. Rabo, ano, parecía xusto. Nabo negro toca no tambor.

Todo o bar se defez num silêncio profundo quando em paralelo uma nova personagem, "Gran peido", se apresentou com o seu odor intestinal.

(continuação dependente de feedbacks)






Comentários

João disse…
LOOOL muito bom! Mas uma pequena dúvida, se o Sergay é um prostituto de luxo para "senhoras", porque é que tem sempre um ar tão panisga (especialmente na noite destes eventos)?

PS- Posso provar que não sou um robot cortando um dedo?
Steïn disse…
As vossas saidas à noite estão cada vez mais estranhas - chiça

Venha a continuação
alphatocopherol disse…
Venha a continuação, venha a continuação, venha a continuação!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Mensagens populares deste blogue

Super Homo - parte o 1º

Super Homo - Apre!

Acordar precoce e naturalmente...