Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2008

Crónicas de LÉ on HARD (um conto de fricção nabónica...)

Um vulto vagueava por ruas secundárias; esguio e fugitivo naquele fim de tarde alfacinha... No seu trajecto procurava desesperadamente não se cruzar com alguém... pelo menos até ao momento: O momento em que teria que se encontrar com a multidão...
Segurava na mão esquerda a bandeira em dever patriótico! Portugal é campeão do mundo de Futebol! É seu dever neste tórrido Domingo de Junho de 2010 festejar loucamente... ele e tantos Portugueses.
Mas a sua mão direita essa, tem que fazer o que habitualmente tem feito nos últimos tempos... LÉ on HARD proteje quase com a própria vida a sua virilidade, mão direita em concha sobre o baixo ventre... e tal qual os restantes vultos que parecem fugir rapidamente em cada esquina, caminha curvado, suor na testa, em pânico! Ao mesmo tempo aquele sentimento de culpa, no fundo tinha sido ele a começar o caos... um caos que não sabia agora como terminar...

Tudo se tinha passado há algum tempo... Após um jantar bem regado seguiu com seus companheiros por bec…
Levanto-o
(ou Tesão para Ti)

Tesão de Ti:
Sentes o perfil do meu nabo sem o olhar
Vês a sua forma com a tua boca
(Ouch!! Mas não o trinques pá!!!)
Deixo-te percorrer o seu perfil enquanto a minha mente se perde no teu rabo
(desenho arabescos nas tuas costas enquanto te torço o braço!)
Vejo a tua mão tentar soltar-se
(arranco a tua mão com a minha!)
Sinto o frenesim da tua boca, e oiço os teus dentes a esperarem pela oportunidade de se vingarem… Vá lá, não sejas estúpida!! Lembras-te do que aconteceu da última vez?
Sinto o formigueiro subir pela pila, enquanto começas a ranger os dentes...
Prendeste-me o nabo, não mo deixas tirar, e ainda o tentas morder!
Penso as mil e uma asneiradas que quero berrar-te, mas o teu pai… o teu pai acabou de entrar em casa, e impede-me até de sussurrar os nomes que te quero chamar!
O pânico sufoca-me… Sufoca-nos! É um vortex de tesão!
Começo a puxar o teu cabelo a ver se me largas o nabo!
Como desejo dar-te um estaladão… a mão bem marcada nessa cara, eternamente!
(nem c…