Mensagens

A mostrar mensagens de 2007

Revolução na Universidade do Monte das Cabras V (A esperança "foice")

Trriiim, triiiim.....

- Sim, senha por favor...
- O merdego ainda há-de ser nosso... pela primeira vez...
- Identificação...
- Cassete Búbú Ariel Bold Ámaquina.
- Ora viva Búbú... Presumo que já saibas das notícias.
- Sim... Já soube que por aí no Merdego as coisas não correram bem...
- Pois realmente... Mas não te preocupes!
- Huuuum... O chefe não parece estar muito chateado. Depois do desaire do Merdego... Nem um terço dos votos... Toda a influência que teríamos. Em três tempos a associação do Talá caía... Num instante o barão Enguia seria derrotado. Chefe isto é um rude golpe... Então e o fim da taxa de utilização do Mp3 que tem vindo a assumir contornos exagerados nos últimos anos. Não se lembra dos nossos ideais. Por uma audição gratuita e de qualidade! E o fim da precaridade dos músicos reaccionários e as novas regras da Metalixegurança do Enguia que ameaçam as liberdades fundamentais dos estudantes de Monte das Cabras, já pensou chefe... Chefe... CHEFE!!!!!

- zzzzzzzzz... hum... he…

Natalidades... tipo tosta!

Sentou-se na poltrona e acendeu o cachimbo. A núvem aromática espalhou-se pela sala aquecida naquela noite de Novembro...

Saltou do autocarro e atravessou a estrada em direcção ao shopping. Uma núvem de dióxido de carbono espalhou-se pela avenida naquela noite de Novembro.

Pegou na tenaz próxima de si e ajeitou o madeiro no lume. As noites estavam frias e nada como o conforto da lareira para aquecer aqueles momentos de ócio aos quais se dedicava antes do jantar.

Agarrou o manípulo e abriu a porta do centro comercial. As noites estavam gélidas, mas porra! Ter que gramar com o aquecimento do shopping só porque a mulher lhe disse para trazer o jantar.

Estava quase a fechar os olhos quando uma carícia no rosto o despertou. Olhou e viu a sua mulher em lingerie vermelha. Ela aproximou-se sentou-se ao seu colo e disse docemente:
- Acho que te vou dar uma prenda de Natal com um mÊs de antecedência... E sorrindo desapertou-lhe as calças...

Estava perdido nestes pensamentos quando um esbarrar violent…

Realidades... oh, bosta!!

Ajeitou os pensos do capachinho enquanto dava baforadas no seu charuto fumegante... Desceu à cozinha da sua vivenda com vista para o mar, e ao passar pela menina Bebiana, a sua empregada de 22 anos e corpo de modelo, deu-lhe uma forte palmadinha nas nádegas, dizendo “Que noite esta!”. “Cabrão do velho”, pensou Bebiana.

Escarrou violentamente para o penico a sua especturação matinal, enquanto coçava delicadamente o seu rabo peludo e postulento... Fugiu para o quintal enquanto a sua mulher corria atrás de si, em robe, com uma lingerie que até se poderia considerar sexy, mas não num corpo de uma mulher de 137.8 quilos. “Porra, mais uma noite!”, pensou correndo atrás do autocarro da carris.

Entrou no seu topo de gama novinho, e escolheu qual dos seus cartões de crédito, com avultados plafons cobertos, ia usar. “Hum, este deve chegar para a Madame Viviane!”

Por entre o magote de gente do autocarro, tirou a carteira rota e contou os trocos “20 euros e meio... deve dar para meia hora com a Gert…

Harry Putta em Gaita em Brasa

No capitulo anterior:
"Estendeu as mãos, elas agarraram e começaram a voar.
Lá em baixo a vila desaparecia... à sua volta, orgias molhadas e relampejantes multiplicavam-se... até que ele apagou...Acordou deitado num espaço branco-acinzentado, com textura a nuvens. Estava nu e tudo era um imenso vazio, sem portas nem janelas.

- “Onde estarei eu?!”
- És nosso prisioneiro, fofinho... Em breve terás uma visita... - ecoaram as paredes.- Um visita?! Quem? É ela, não é?! - perguntou ele em pânico.- Ela não! Nós!"
Harry começou a sentir um calor intenso... que vinha de dentro...
Contorceu -se como estivesse a sentir prazer... um prazer diferente... (diferente das habituais piveas matinais)
O estado febril aumentou o fluxo sanguíneo provocando-lhe uma erecção gigante, de tal ordem que duplicou os 16 cm da média e a glande ganhou uma textura diferente, semelhante ao "Cogumelo-falale", muito usado nas fantasias eróticas de jovens biólogos.Harry estava completamente dominado, em …

Revolução na universidade do monte das cabras IV (o ripanço extra(ordinário) )

O gordo Tálá roncava no sofá... enquanto a Abelha Malha coçava a micose, olhando para o placard electrónico ao estilo POLIS colocado ao fundo da sala...


"já só faltam 43 anos, 7 meses, 42 dias, 23 horas, 17 minutos e 15, 14, 13... segundos para mudar a direcção da associação..."

Pensou... Isto é deixar a revolução correr... Hum... pensar é na festa do Natal. Se calhar três putas bailarinas com um gorro enfiado na pinha... hum... é isso.

...

Sergay voltava a consultar o Forum da universidade em busca de novidades. O barão Enguia continuava a colocar notícias do maravilhoso mundo do Metal em destaque... Ainda ha poucos dias para festejar o aniversário da instituição, preparou um concerto em ré-menor com nabo soprano, mas novo evento se aproximava:

"ÉPOCA DE MÚSICA EXTRA-ORDINÁRIA: PARA QUEM DESEJA UM MESTRADO EM HARD ROCK NEW AGE, E AINDA NÃO COMPLETOU AS CADEIRAS DA LICENCIATURA EM FUSÃO TECHNO-METAL. OS INTERESSADOS DEVERÃO ENVIAR UM MAIL PARA: enguia@cabras.cu"

Bom não …

Poesia Neo-alucinada (ou um sonho colectivo sergiófilo)

Tenho andado a estudar
Uma hipótese muito estranha.
Estou perto de a aceitar
Quanto mais penso, mais se entranha

Sergay, avôzinho de TL, compêlo dôs
Por muitos nomes o conhecemos.
Mas existirá ele na realidade
Ou será uma psicose que todos temos?

Nas pautas está inscrito
Mas na faculdade nunca está.
É muito estranho, admito!
Ninguém o vê, porque será?

Na net parece habitar
Até comenta e escreve na Penal.
Mas alguém pode provar
Que não passa de um bug virtual?

Já esteve em jantares? Uma ilusão!
Na FNAC a ler BDs? Um sonho!
A desenhar em guardanapos? Uma visão!
A tentar comer uma sandes? Que tonho!

-“Tantas vezes que o vi, mais de um milhão!”
Contradiz alguém, que se justifica.
Mas não vê também o papão
O menino que nele acredita?

A teoria é real, submete-te
Estaremos todos a viver uma alucinação?
-“Tenta encontrá-lo, diverte-te”
- “Lamento... mas ele já me ripou o nabão!”

Testemunhos da vida de um louco e seus camaradas (pt3)

Tinha chegado a noite de sábado e um grupo de convivas estava a decidir onde deveria decorrer o forrobódó. Ficou acordado entre os mesmos que a victima seria um bar na Alameda D. Afonso Henriques. Dito isto um dos indivíduos exclama:
- Olha! Calha mesmo bem! Aproveito e vou ter com uma amiga minha que mora lá perto para resolver já um assunto!
Assim foi. Chegados ao bar, o grupo de amigos começava a notar a demora excessiva deste último, pelo que um tomou a iniciativa de o ir procurar.
Encontrou-o no cimo da avenida, dentro do carro, de cinto desapertado, com os óculos mal pendurados na face e um sorriso de uma imbecilidade solarenga.
- Pá!- Disse-lhe - Tu não foste ver amiga nenhuma! Foste mas é às putas!
- Errado- retorquiu-lhe calmamente - fui ter com uma amiga... a minha amiga dos bicos!

P.s. Este senhor não só é profissional como tem o doutoramento.
Nota-se!

Testemunhos da vida de um louco e seus camaradas (pt2)

Era noite de passagem de ano e, num jardim perdido no meio de Corroios, meia dúzia de marmanjos preparavam febras na grelha só para não lhes pesar na consciência (e no bucho) terem somente ingerido cevada da grossa. Às tantas um dos cozinheiros improvisados, devido à massrrice delitante, deixa parte da refeição ir ao solo. Vira-se para um dos comparsas e ordena:
- Ehpa! Lava aí essa febra que está suja.
Este último não hesitou... Dirigiu-se rapidamente ao tanque de pedra e abriu a torneira. Depois de bem molhado, , esticou o pedaço de carne, cobriu-o de detergente OMO, esfregou vigorosamente até enxaguar e estendeu a febra no estendal com duas molas. Feito isto informou:
- Deixa secar uns 15 minutos e depois podes vestir.
Não houve reacção para além do olhar esbugalhado e silencioso dos restantes. Nem podia haver.

P.S. Este indivíduo não ingeriu uma única gota de alcool nessa noite... uma pessoa tem que manter um comportamento de alto nivel nestas efemérides, certo?

Testemunhos da vida de um louco e seus camaradas (pt1)

Desde já um grande bem haja.

Tive a ideia de criar esta rubrica com o objectivo de partilhar convosco certos fenómenos por mim presenciados que deixariam o próprio Arthur C. Clark incrédulo.
Aqui encontrarão as desventuras dum louco profissional bem como as de alguns dos loucos (amadores e profissionais... e olhem que já encontrei amadores com perícia lunática bem mais desenvolvida que muita desta malta encartada) que se cruzaram no seu caminho. Como tudo o que será relatado nesta coluna é estritamente verdadeiro, não serão referidos nomes, para salvaguardar a integridade moral e... mmmm ... ok ... não serão referidos nomes, acabou!

Como sempre espero que apreciem e farpas rijas mais 1 braço para quem não gosta.

Certo dia, dois foliões, já balanceados pelo alor da pinga, estavam em amena cavaqueira. A dada altura um deles, motivado por um qualquer impulso metafisico com forte cheiro a tintol, ou por pura veia jocosa, confronta o outro com a seguinte questão:
- Pá! E monólogos secretos... …

Cat Sabbath

Imagem
Para quem ainda não viu esta merda...

All Praise The Almighty Cat Sabbath!!!!! \m\_ (ªLª) _/m/

CLICAR AQUI PARA VER CAT SABBATH

Só mesmo eu para por merdas destas aqui (ou em qualquer lado) às 4 da matina.

Enfim...

Ondas [do mar [verdes e amarelas)]

... a pedido de alguns (nomeadamente eu) fica aqui a versão escrita deste radioso poema:

as ondas do mar são verdes e amarelas
as da frente trazem peixe
as de trás principalmente

Revolução na Universidade do Monte das Cabras III (A mediatização)

Foi no computador da super esquadra do Rio Merdego, que o intendente Vite Ava Gina (Filho do famoso Chefe Victor Gina que morreu nos trágicos incidentes ocorridos em Monte das Cabras, há alguns anos), tomou conhecimento da agitação que abanava os alicerces daquela instituição.
Na página da Universidade do Monte das Cabras, assistiu aos desabafos de Huno Pintelheira, que se indignava pelo facto de ter ficado com as mãos e pés esfolados da monumental cegada, e de Sergay, que depois da segunda aula de Aspectos do Metal Contemporâneo, já estava completamente afectado dos KORNos! (mil perdões pelo trocadilho forçado...).

- Puta de Universidade, acabou com a vida do meu pai e ainda continua a dar água pela barba, a quem a grama! Este barão Enguia é fodido!

Resolveu que estava na hora de um cafézito... Dirigiu-se ao bar da esquadra, cumprimentou a Dona Mama Lhuda, e pediu-lhe o habitual café matinal, bem cheio e á grande!
Ao chegar a uma mesa vaga deparou-se com uma nova publicação: Em vez dos …

Revolução na Universidade do Monte das Cabras II (A cegada)

Ao mesmo tempo que Sergay tentava conciliar o seu horário, um grande alarido varria uma pequena sala ao lado do antigo bar da dona Crosta, onde agora se vendiam fármacos (a propósito, sabiam que na nova farmácia da Universidade do Monte das Cabras, 99% dos alunos que apresentam incontinência anal, optam por um genérico enfiado pelas bordas acima?).

O gordo Tálá transpirava e bufava que nem um porco! Esta nova medida do barão Enguia necessitava de uma medida interventiva forte. Era agora que a Associação dos Beberantes poderia finalmente mostrar a força que tinha no Monte das Cabras! Iria sem dúvida ser muito melhor que quando a Universidade foi invadida por mais de 700 ovelhas, numa tarde de nevoeiro, ou quando o director queimou a boca quando foi obrigado a comer castanhas de enfiada no São Martinho da indignação!

- Meus Amigos, vamos fazer uma CEGADA!!!!!!
Espanto!
-XIIIIII
-OOOOHHHHHH
- Tálá és o maior!
- Tálá toma lá mais três putas bailarinas para se sentarem nas tuas banhas!
- Viva o tá…

Acabou-se a mama!

Antonov o Inclaudicante não podia acreditar no que os seus olhos viam. Foi um acaso que o levou a clicar no ícone "Penal", mesmo ao lado de "Anal Sluts" na barra dos favoritos. O que se preparava para ser um festim porno na casa de banho tornou-se um desfile de textos abjectos, pejados de calúnias, em que o visado era o seu mentor e pai espiritual Sergëi, o Sereníssimo.
Antonov sentiu o seu sangue ferver! Isto não iria ficar sem resposta. Ao levantar-se do assento da sanita (quase deixou cair o portátil) já tinha algo apropriado em mente...

Rumou àquilo que se assemelhava a um roupeiro, cuja porta deslizante reconheceu a identidade cromossómica da gota de sémen que Antonov depositou no orifício de recolha.

"Bem-vindo, ò Inclaudicante! Ohhh Siiii!!!" soou uma voz artificial num tom orgásmico e sincero como só uma estrela porno pode ter.

Um enorme salão se estendeu perante o olhar, resplandecente de avançados e variados instrumentos de destruição, tortura e…

Harry Putta - Prisioneiro das Cabanas

Harry ainda estava borrado com o que tinha acabado de ouvir: " Trouxeste ao mundo a nossa Maior Rival! Uma Feiticeira temível! Vai ser o fim da Magia Sexual Tântrica!... Chamava-se Maria Inês quando humana".
Aquele nome não lhe dizia nada...

- "Maria Inês?! Vou procurar sobre essa criatura..."

Ainda era meio da manhã quando Harry entrou na "Dildo's Hardcore Library", a decoração interna era um pouco feminina, mas o seu odor corporal afastava qualquer interessada...
Depois de alguns minutos chegou a um humilde livro, de um autor chamado Sergay, "Circuncisado, violado e abandonado por Maria Inês - Deusa ou ET? ".

- "Que título estranho... Quem seria esta mulher?!"

A curiosidade foi acumulando com o que lia sobre ela.

- "Ninfomaníaca... investigadora de feromonas... aliens... mutação genética com esferas metálicas... replicação da raça Ganryubigu... Bolas esta tipa era um espectáculo de mulher!".

- Espera! O que trará ela desta vez!…

Revolução na universidade do Monte das Cabras

Era uma manhã calma... aparentemente...

Na sala de sexo virtual do terceiro piso, não se ouviam gemidos como habitualmente... Uma turba de alunos desesperados tentava simplesmente executar esse acto vital para as suas existências ás 9h 35min e 47 seg exactos! Inscreverem-se nos seus turnos práticos. Mas á hora marcada o espanto foi geral!

- Mas que é isto???
- Não pode??!!!!
- Mas, mas.... nunca vi nada assim...
- Isto nem quando inventaram aquela história da matemática de nível primário para caloiros...
- Incrível!!!
- Estou pasmado!
- Isto nem mesmo quando a dona crosta estava a servir salgadinhos ao xanana do infarmed no final do Alexia e Tutu!!!
- AAAANNNNN?????
- Pssst, cala a boca!
- Foi o que eu disse...

Há já vários anos que Sergay (Esse mesmo que desengurdorou a paxacha da Jéssica e perdeu três centímetros da sua piça quando a resolveu encalacrar na crica da puta vesga da Maria Inês) andava na Universidade do Monte das Cabras, e nunca viu algo similar. Há hora marcada tentou fielmente in…

Poesia gastronómica II (ou o reviver de um sonho cantinado sem validade literária)

A memória de boa gastronomia,
Com aquele sabor original,
Fez-me ir de novo, com alegria!...
À cantina de acção social.

Seja em Coimbra ou em Lisboa,
Sempre a mesma sensação...
É que até ficas á toa,
Com tamanha nutrição!

Bifanas bem ressequidas...
Sopinha de mijo de cão!
Traz umas massinhas coloridas...
Com consistência de sabão!

Bacalhau em salgadas lascas ...
Abrótea á sexta feira!
Mais selecto que muitas tascas...
Já se adivinha a caganeira!

E no que aos doces diz respeito,
Tambem tens por onde escolher.
Melão e arroz doce a preceito...
Para a casa de banho sais a correr!

Ainda não estás satisfeito?
Porque estás a barafustar...?
Por 2 euros... Tem respeito,
E trata de te calar!

Por isso de novo converte-te!
(Para rimar com a famosa terminação!!)
- Toma o tabuleiro... diverte-te!
- Lamento... Mas não tenho picante á mão!

Mas Cá Putta - A banda concreta (Sonhos Qualquercoisaidos remix 2007)

Barbarúlios bebericou um pouco mais de uma cerveja enquanto mirava a nota de 20 euros em cima da mesa. Tinha-a visto pela primeira vez no dia anterior, quando uma raspadinha certeira lhe atribuiu o prémio...

Ao principio as suas formas e cores atraíram-no... à noite colocou-a sobre a mesinha de cabeceira e soltou um suspiro de satisfação por ela estar ali, junto a si...

Mas rapidamente se fartou daquele mero pedaço de papel... "cá putaaaaaa... vai-te embora", gritou, como se a nota tivesse pernas e pudesse andar... Como se nem sequer conseguia falar???

...

Agora tinha que se livrar dela, tinha que ser agora!!! Olhou em volta desesperado depois de sorver o último golo da sua 23ª cerveja. A cervejaria Enconália já se encontrava meia deserta naquele fim de tarde. Viu um empregado jovem que circulava de olhar vago por ali... Era agora ou nunca!

- Ouça lá desculpe, lembra-se quando no ano passado houve aqui na Cervejaria um concerto dos Mamadure?
- Peço desculpa -disse o empregado- Mas…

Harrie Putta - Cama secreta

Harrie sem se aperceber do impacto da sua invocação saiu até à rua. Estava convencido de que poderia avançar para o novo Feitiço, o Remote BlowJob.

IInex ainda curiosa com o estrondo, saiu, na esperança de perceber o que se tinha passado. Do silêncio da sua rua passou para a confusão das conversas beatificadas. Ouviam-se alguns boatos: A existência de uma nova criatura na vila; o Padre que tinha cometido um pecado canibalesco; que Harrie se tinha convertido à homosexualidade caseira.
IInex vagueou pelas ruas cinzentas da manhã por mais uns minutos, até se cruzar com Harrie. Este despido numa esquina soletrando, qualquer coisa como: "www.blowjob.com Enter".

- Bom dia Harrie! - Saudou a Mestre, tentando não memorizar aquela imagem ridícula.
- .. Oh.. Bem haja! Tão cedo na rua? - perguntou Harrie um pouco embaraçado por ter sido apanhado despercebido.
- É verdade, só uma grande curiosidade me retira das minhas Masturbações Tântricas Matinais.
- Curiosidade?! - Sentiu-se confundido co…

Contos do Virgílio - O Repuxo (Continuação)

O velho Virgílio estava agastado. Eis que se preparava para declamar a sua epopeia quando aquela piolhosa matulagem lhe havia estragado o clima de mistério. Riem-se, seus malandros? Então ide-vos foder, vou arranjar público que me mereça!
Virgílio estava cansado e bastante disposto a voltar para a sua morada. O único senão é que, na aldeia, não havia criatura mais miserável que Virgílio, o "Sem-Cheta"! Nem um barril tinha pra se poder abrigar...
As piadas à sua conta eram facadas no seu peito, só ignoradas pela veemência das facadas da fome.
Nem uma porra duma casca de banana tinha para mastigar, à laia de chewing-gum!
"O meu maior inimigo é a velhice, ninguém liga aos velhos nesta puta desta aldeia!" pensou Virgílio. De facto, Virgílio era o mais pobre porque a sua idade não lhe permitia trabalhar no campo, e naquele meio rural (pra não dizer atrasado) não havia labor menos pesado de que pudesse tirar o sustento. Não tinha familiares, e também não tinha amigos, pois e…

Abre-me o arquivo

Mostrar mais