Mensagens

A mostrar mensagens de 2009

Sergay o Bar#T#Man - No Bordas Alargas - parte II

(Gostaram do Menu seus malandros?Sergay queixou-se que recusaram os convites....)
Apesar da vossa ausência na rambóia do alarganço o jantar foi fenomenal.
Todos os convidados se masturbaram de satisfação, Jonh Brósh, aproveitou a ocasião para apresentar as babetes abdominais, apropriadas no desporto do 5 para 1, um tira meita... um tira nódoas apropriado para roupa e tapeçaria. Noddy quis testar mas perdeu-se no caminho para casa de banho. Rumores alegam que Bo Dasss (o tal desconhecido) e peidófilo, desencaminhou o desenho animado para o Hentai
O Josué Aristóteles prometeu alguns incentivos fiscais e um TGV intestinal mas acabou sodomizado pelo Encalacrador Implacável com um chantily laranja.
Já Sergay, durante a rambóia geral dos seus convidados, engraxou abundantemente, com brilhantina balsâmica, todos os seus pêlos rectais.
Nalgatorius, perante tamanha parada de invertidos, convidou todas as mulheres presentes para uma manáge à treize! Será que se safou?
Alguns repórteres, das revista…

20 Ânus

20 anûs por detrás, na cidade de Berlim
Ninguém parava de guinchar, fazia-se grande pasquim

20 anûs por detrás, na Berlim Ocidental
Abraçava Woody Allen, incontinente, a sua filha Oriental
20 anûs por detrás, na unida Alemanha
Aprendiam a perder a guerra, entrefolhos colados com nhanha

Em Novembro de 1989 em Portugal,
Havia um gabinete, a tantos igual.

Para uma aluna decadente
Olhava o Arquitecto maravilhado.
Porque a realidade, agora de frente,
Não tardava a inverter na ponta do nabo.


Mudança de cassete...


3 palavras... a desgraça de uma vida!
Imortal frase repetida, a do professor cheio de cagança
E nessa fita, protagonizada por sua lança,
Encava nova debutante bem fodida.

O rumor cresceu, perdida a esperança
de abafar o escândalo da sodomia...
Exmo. Arquitecto, cheio de bonomia
com os seus colhões se gaba da destemperança
Mas sem tardança os cus regressam e de um jorro o afogam em fecal maremoto de anal vingança!

A praga cor de rosa traz água no bico...

Parece um vulgar desenho animado
Orientado para a temática comercial.
Porém, tem um cariz debochado,
Ordinário, perverso e descomunal!
Transformando as mentes dos petizes...
Alienadora de infantis aprendizes.

E eis que agora não está só...

Lembraram-se pois de pior!
Era apenas uma ave simpática
Orientada para um cariz social,
Percursora de solidário ideal!
Oh... que fizeram da ave carismática,
Lenda da música que todos sabiam de cor...
De trajes modernos está agora
Indumentária e ar provocador
Natal que é feito de ti agora
Assassinado com tal despudor...




Bem vindo ao mundo debochado dos presentes onde há... vibradores, strap-on's e nabões!

Suissinha-me (dedicado a Steïn, esse peido-romântico)

Suissinha-me Traição
e todas as marcas me deprimem
e todos os L. caseis me fazem gases
Traição
meu corpo em frisson ao abrir a porta do frigorífico
a colher escavando no escuro da noite

Nunca terei uma pila maior
Nunca terei um mercedes cabriolet
Mas sei que continuarei a correr para a
secção dos lacticínios
Quero fugir do batido
Quero fugir da sobremesa láctea
Suissinha-me!
*SLURP*

Mas continuarei aqui
agarrado ao Pâturages extra cremoso
Sou aquele que vês
com os cantos da boca sempre brancos...
Traição... (sou uma puta barata, vendo-me por uma embalagem de meio quilo)

Meu caminho está no levantar da tampinha
Minha vida é um pack de quatro na minha mão
Deixa-me lamber a colherinha

Suissinha-me! (Ou então, prontos... contento-me com um Yoko!)

Não me olhes assado!

Não me olhes assado…


...dou-te uma chapada que te viro de lado.


Quando os raios de sol, filtrados pelo nevoeiro matinal, entram pela janela do quarto a acariciarem o meu despertar…


... é quando me abocanhas o nabo entesoado.


Faço zapping, instinto zombi, enquanto os recibos do mês passado voam na brisa do meu flato, para se acumularem num acolchoado tapete ruivo…


...onde a seguir te monto à canzana, até ficarmos com os joelhos queimados.


Os teus enormes olhos negros presos em mim…


..."tásolharpaonde?"




- Porque me olhas assim, caralho?
- Assim como, foda-se?
- Como se esperasses algo de mim!
- Yah, 20 euros pa ir ao Colombo.


Afasto-me, em direcção à janela… A respiração forte e irregular, a minha mão que treme como se fosse exterior a mim o desejo de te partir a cara… Tu apunhalas-me pelas costas, a lâmina desliza por baixo das minhas costelas, provocando um início de hemorragia fatal, para se quedar na minha omoplata… Umas quantas lágrimas humedecem-me o olhar…


Viro-me, cotovelo em riste…

Os "Trans"

Passam limusinas do Conselho de Estado
Passam táxis com rebarbados
Passam pessoas com ar enojado
Espera-se e espera-se enquanto se é enrabado/a
Aí vem o próximo freguês
Passam pessoas
Passam droga
Passam os "trans"
Os que não anseiam pelo fim do mês

Sergay o Bar#T#Man - No Bordas Alargas

O regresso de Sergay não podia ser mais convidativo do que uma mega party no seu Bar, o Bordas Alargas!
Bar este todo embelezado com bijutaria feminina, loiça das caldas e lingerie dos Village People entre várias paredes espelhadas e puntiformes.
Todos os convidados foram brindados para entradas com Linguados à moda do CDS e licor BuhhhCona.
Sergay trajava umas ceroulas laranja numa camisa de veludo cor-de-rosa, aberta até ao umbigo. Ao peito reluziam colares brilhantes - caracterizando vários formatos penianos. Os pelos peitorais engraxados com brilhantina estavam escovados do externo para fora, um verdadeiro homem de negócios nocturno.
Entre os convidados constava Jonh Brósh, fã e vendedor de Produtos Erotóxicos (ver etiqueta Bolsista_eculojista), Noddy, Bo Dasss (um desconhecido), Josué Aristóteles e o temível Encalacrador Implacável.
O porteiro escolhido, a dedo e a palmos, foi Nalgatorius Erectus, reconhecidamente o mais sobredotado nas lutas do pincel.
(não percam mais detalhes do B…

Nabo Doce (Chupe já!)

A bela foda p´ra quem não para de albergar
E lhe apetece mais um grande bacanal
A qualidade e o preço baixo do Nabo Doce
E o nosso amor p'lo chavascal!
Venha ao Nabo Doce, que já não é o primeiro
O preço é sempre baixo, temos nabo o ano inteiroO nabo é do melhor
Quando lhe entra p'lo rabinho
Aqui entra sem mais dor
Porque é metido com jeitinho
Aqui o preço é baixo e entra todo à primeira
No cú da queridinha ou da mais reles rameira
Receita Nabo Doce, é à frente e é atrás!
Aqui o Nabo Doce cresce sempre muito mais, muito mais, muito mais
Venha ao Nabo Doce, no chavascal o primeiro
O preço é sempre baixo temos nabo o ano inteiroVenha ao Nabo Doce, enterre-o inteiro
O preço é sempre baixo temos nabo o ano inteiroNabo Doce, chupe já!

Canzana na Praia - (Adaptado do Original "Azar na praia")

Esfreganhar-nos na praia, fomos tu e eu
Mas que glande boa me apareceu:

A minha coninha, o penis teu

Quando a moitinha toda estremeceu.
Muito arranhados saímos dali
Eu todo nu, tu assim, assim.
Não tinha dinheiro, carro também não
Viramos a ré, e fizemos serão.

(E ela, coitadinha, muito aflitinha gritava assim: )

Aiiii, fode-me a peida, fode-me a peida!?
Fode-me a peida e vem-te para fora!?
Com os pelinhos todas à mostra
E a merdinha quase de fora…

Muito acastanhados saímos dali
Eu todo nu, tu assim, assim.
Não tinha dinheiro, carro também não
Viramos a ré, e fizemos serão.

O caso Friputas! Episódio I - Josué Aristóteles

Josué Aristóteles era o presidente da câmara de Chavascal. Poderia ser uma qualquer localidade por esse mundo fora... mas não. Chavascal havia sido construída para desempenhar o papel de primeira (e única) "Cidade totalmente dedicada ao sexo" (vulgo antro de putas). E era assim, entre aquilo que administrava, que Josué gostava de passear... Longas tardes calcorreando cada rua, falando aqui e além com muitas e muitos conhecidos que com ele se cruzavam... Uns com rasgados elogios (e eloquentes felácios), outros com queixas e agressividade (e algumas enrabadelas mais a seco...).
Por vezes parava junto às suas meninas predilectas (Amanda, Josefina, Emengarda, Zé Nandulo...), para uma conversa mais intíma, uma chamada para Tóquio, ou um assunto mais burocraticamente sado-maso.
Aristóteles era uma pessoa de cultura... e conhecimento nas áreas de sua competência. Não foi por acaso que concluiu com distinção uma Grande Foda em Engenharia do Pernil, se bem que há quem afirme ainda que …

Os Taberneiros Demoníacos

Bairro Alto 21h35m...

-Abreu estou cheio de fome e não encontro nenhum sítio com preço razoável... Já me estou a passar da marmita...
-Tem calma Barnabé... está ali um restaurante que parece ter preços acessíveis! Entremos!
- Mas Abreu esta merda...
- Que foi?
- Esta merda é uma TASCA!!
- E que mal é que tem hum.... Ai o car... (censurado) ho!!!!! (Grita um homem forte de farto bigode, pança proeminente, e avental manchado acabado de sair de trás do balcão)
- Desculpe não queria ofend...
- Não querias o CAR (censurado) HO!!! Ambrósio, Zé, Fagundes... Toca a cantar o nosso hino, para mostrar quem manda aqui!!!!

(3 senhores de idade, cambaleando, levantam-se da mesa onde jogavam dominó e bebericavam copos de três... Uma marcha surge da telefonia presa a uma parteleira lateral e os 3 começam a disparar os trôpegos versos...)

"Na demanda do rissol
da tradição eles são herdeiros
pelo bem que faz o etanol
eles são, eles são os taberneiros!
Têm pataniscas sem igual
E pregos bem porreiros
numa higiene s…

Bolsista e Cu lojista - III - Novos Produtos Erótixos

A bandeirada de Fiscalização do Banco de Portugal não desmotivou John Brósh nos seus negócios. O dia seguinte serviu para lançar no mercado novos produtos abrasivos:
Ar CUdicionado - um Bufadizador industrial com a particularidade de arrefecer ou aquecer o odor a rabiças;
Spread Anal - para quem pretende o spread mais baixo do mercado, pelo menos o mais próximo do zero absoluto;
Cricas da Canção - um festival onde os dotes vocais ficam para m(s)eios planos. Festival destinado a aumentar as audiências masculinas, em dias onde o futebol seja uma concorrência. Possibilidade de testarem técnicas instrumentais do 5 para 1 - o esfregalhar do telecomando - ou acertar a pontaria na sanita durante o intervalo - o repuxo amarelo;
HardIBute - um anti-Halibut para os sadomassoquistas - o ardor nunca foi tão intenso;

HiFode - uma rede social dedicada ao sexo explícito - onde quem se mostra em trajes menores paga para ser visto na rede;
John criou uma grande expectativa nestes novos produtos, vamos ver c…

Ardor na Perdiz - Ai que é cá um ardor (Chavascal Encalacrante da Degradação 2109)

Se é na crica
Encavadela
Se é no cú
Enrabadela
Se entra mal
É foda feia
Se esporrar
É greta cheia
Se rasga o véu
É sorte dele
Se é à cadela
É sodomizar
Se é à noite
É à apalpadela
Se é de dia
É a espreitar

É veloz
O teu nabão
Na boca farta
Ou buraco fundo
E um pintelho
No colhão
Pinta este quadro
Imundo
É que é TODO
Num instante
Encalacrado
O flamejante
E antes que
Ganhe traça
Dá-me c'o malho
Na carcaça

Malha-me
Com a salsicha crua
No lençol
Ou até na rua
Ai que é cá um
Ardor
Que eu sinto
Na rata nua

Atirei o Pau à Macho

Atirei o Pau à Macho,
mas o Macho, não se rendeu,
Dona Crica, desesperou-se
Com o gemido, com o gemido
Que o macho deu, Uaaauuu.
Ao penetrá-la com o Zé,
virou-se à mula, "de marcha ré",
Ou ela geme, ou ela grita,
ou vem-se agora, mula maldita.

Abram as Bordas ao Noddy

Abram as Bordas ao Noddy
Para no próstata lhe tocar
Abram as Bordas ao Noddy
Vamos pô-la de fora p'ra brincar
Abram as Bordas ao Noddy
Vamos pô-lo em carne viva
Preparar, estar pronto, hoje é um grande dia
O Noddy vai levar!!!

Abram as Bordas ao Noddy
Com os seu dildo amarelo
Abram as Bordas ao Noddy
O seu rabo era tão belo
Abram as Bordas ao Noddy
Vamos pô-lo em carne viva
Vamos-lhe dar, enrabar, o dia é de alegria
O Noddy vai levar!!!

As mamas da Carolina - Musica Tradicional Portuguesa

As mamas da Carolina
Têm os bicos eriçados
As mamas da Carolina
Têm os bicos eriçados

Oh Carolina
Anda cá ao pai
Oh Carolina
Chupa-mo bem

Os lábios da Carolina
Já andam bem treinados
Os lábios da Carolina
Já andam bem treinados

Oh Carolina
Toma lá do pai
Oh Carolina
Não chames a mãe

O rabo da Carolina
Já anda bem rodado
O rabo da Carolina
Já anda bem rodado

Oh Carolina
Não digas ai
Oh Carolina
Sabe-me tão bem!

Poesia PENALiana (ou um sonho comemorativo...)

E foi assim que passou,
O primeiro jantar da PENAL.
Quem não foi é que se tramou,
Pois perdeu um belo chavascal!

Álcool, companheirismo, grelhados,
Algumas tosgas e confusão.
Participantes a ler excertos, embaraçados,
E outros à espera que lhe ripassem o nabão!

Houve também velhas a implorar,
Por copos cheios de sangria.
Casais romanticamente a jantar,
A acabarem com uma grande azia!

O empregado sempre a ser chateado,
Enquanto na tv se arrastava a selecção.
"Bifes" a ler de sotaque carregado,
E um bem lixado namorado-morcão!

E para os panisgas do costume,
Críticos da "festa da mangueira",
Acabem já com o queixume,
Pois não faltaram moçoilas à maneira!

Se este ano faltaste, atreve-te,
E no próximo não percas a celebração!
- É só ir ao site... increve-te!
- Lamento,(...) ---> escolha uma das opções abaixo; a terminação com mais votos ganhará a honra de fazer parte da história deste site, ah pois é!

a)... tenho amor ao meu nabão!
b)... prefiro ir ao gingão!
c)... não vou a esse antro de dev…

Rua Se és amo - Invaginar

Vais invaginar, invaginar!
Eu vou invaginar, vamos lá praticar!

Dá com mais força o teu nabão!
Pois então, que excitação!

Vais invaginar, invaginar!
Eu vou invaginar, vamos lá praticar!

Dá com mais força o teu nabão!
Pois então, que excitação!

Invaginamos dia-a-dia,
O tronco está sempre a mexer.
Com música fodes a brincar.

Mas que bem, bem a mexer!
Invagina lá assim, troncos juntos sem parar.

Com a ponta do zé, com as mãos nos seios,
E vamos lá penetrar, penetrar,
vá, vá, vá,
1, 2, 3, 4, 5, 6, 7

Vais invaginar, invaginar!
Eu vou invaginar, vamos lá praticar!

Dá com mais força o teu nabão!
Pois então, que excitação!

Nós fazemos faz também,
Invaginar dá energia
E também dá prazer!

1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, UAAAHhhhhhhhhh!!!

Vais invaginar, invaginar!
Eu vou invaginar, vamos lá praticar!

Dá com mais força o teu nabão! UHHHHHHHHHHH
Pois então, que excitação!

Vais invaginar, invaginar!
Eu vou invaginar, vamos lá praticar!

Dá com mais força o teu nabão!
Pois então, que excitação!

Ohhh Siiiii (Mais um plágio sem validade literária)

Ohhh Siiii Ohhh Siiii... espera! Que me explode o nabão!
Trocam-se fluidos, já parece um rio.

Ohhh...Siiii fodinhas! Jovem destreza!
Voa leitinho, pela cama em efervescência.

Ohhh... Siii pila! Berra ela com energia!
Arfando sem oxigénio, gritando esbaforida.

Ohhh... SIIIIIIIIIAUUUUUUUAGHHHHUUUZ (queriam melhor para rimar com luz plagiem vocês olha!) ! Vem-te dia após dia!
E prepara o rabinho, que vem mais a caminho.

O Encalacrador Implacável - Episódio 5

Algures em Lisboa durante a madrugada, alguns anos atrás (de quem? Como? Oi? Pois é pois é pois é pois é!)

A noite estava escura na Amadora, mas Alexia tinha conquistado uma esquina particularmente iluminada, junto ao “Talho do Bastos” e do “Café dos Mirones”. Era a esquina mais disputada da cidade pelas trabalhadoras da noite, pois em todas as outras era difícil ver os clientes, à excepção dos seus dentes reluzentes. O cheiro, esse, sentia-se à distância, qual aroma da África profunda. “Bem, ao menos compensam o cheiro com um apêndice bem volumoso!” pensava Alexia.

A noite corria monótona quando no seu campo de visão surgiu uma idosa de avental, em passo acelerado. Alguns segundos depois estava junto de si.
- Jovem, preciso de falar consigo! – disse a idosa.
- Minha senhora, desculpe, mas geriofilia eu não pratico! – respondeu
- Nada disso minha menina! Para mim só há o Sr. Rato e o seu ratinho! – disse a velha - Bem, há uns anos participámos numa orgia com muitas mulheres e alguns cava…

#3

- Boa! Mais um jantar da P.E.N.A.!- É da P.E.N.A.L.!- Anal, isso não é um bocado gay??- Não é gay, é da P.E.N.A.L.!- Do código?- Qual código, o Davinche?- Não, o código penal! (C’a burro!)- Não, é o jantar da P.E.N.A.L.! Da P.E.N.A. Lasciva!- Ahhh! Com lixívia, então vão todos de branco? Isso não é um bocado gay??- Oh pah! Lasciva!- Isso, lixívia… só coisas brancas por todo lado, continua a parecer um bocado gay!- Não é nada gay! ÉL-A-S-C-I-V-A! Assim tipo debochado!- Ahhh, se é de brochado já me parece melhor!- Não, meu! Debochado, tipo devasso!- Se é c’o braço já me parece gay outra vez!- Que nabo! Tu e as cenas gay! Devasso, tipo… Hummm Espera aí… - Nabo também me parece um bocado gay…(som das teclas no computador…)- Ora toma! Lê!(começa a ler umas letras no computador…faz uma pausa para ajeitar a berguilha…scroll down… continua a ler…faz uma pausa para ajeitar a berguilha…scroll down… continua a ler…faz uma pausa para ajeitar a berguilha…scroll down… continua a ler…faz uma pausa p…

#2

Já me disseram que vemO Poder Original,Só não sem se com ou semPelo vaginal!Pelo sim, pelo nãoUma catana vou levar,Para o poder apararBem rentinho ao chão! Quem se vem não interessa,Mas, sim se vai haverO prometido Bacanal!Se é o Jantar da P.E.N.A.L.A decadência vai crescer, Já não há quem a meça!

#1

Vem-se assim de repenteO jantar da P.E.N.A.L.Deixem lá que a gentePrepara já o bacanal!Paneleiriçe, pela certa!Deboche até dizer chega!Pouca cona aberta!E broche, nem da Pega!Já nem sei o que fazer,A este depravados.Só pensam em Bocage lerCom gestos amaricados.Vamos ver no JantarComo é que vai serQuantos vão permanecerDe rabinho pró ar!Vou levar protecçãoFeita d’aço inoxidávelMas daquele inquebrávelNinguém me come o cu…ração!

A canção há muito aguardada (Conteúdo não aconselhado a pessoas sensíveis - linguagem explícita)

14h10min... O ruído no auditório a abarrotar é deveras insuportável. O professor C.A. (não é de Carlos Anacleto, ou Cândido Alves, mas tende calma, meus caros, que já sabereis...), pousa a pasta para mais uma aula de Psicologia e aguarda...

C.A. - A vossa atenção por favor...

(ruído e mais ruído)

C.A. - Que falta de respeito, querem-se calar por favor...

(o mesmo nível de ruído, na fila da frente um aluno de cara burbulhenta e óculos graduados leva a falta de educação a outro nível, tirando de uma sacola um bolo de arroz e levando-o à boca sem se importar com o local onde se encontrava)

C.A. - EH PAH CALEM-SE CARALHO!!!!!

(silêncio, por fim... Centenas de olhos admirados...)

C.A. - Raios pah, parecem putos! Geração rasca Morangos com Açúcar! Chiça! Não aprenderam nada com a rua Sésamo???

(O mesmo silêncio, agora o conjunto de expressões era mais interrogativo)

C.A. (suspirando) - Foda-se não me digam que... eh pah não... Quem alguma vez viu a Rua Sésamo ponha o braço no ar!

(Plateia sem reacção…

Senhora a obrar!

A grande música vencedora do "Cagalhão no Chão 2008"!

Intérprete: Vá Feder Antes

Senhora a obrar,
Ante vós, me tendes aflita.
Quem vem tira as meias, as calcinhas e zás...
Nesta fossa, nesta casa sem sanita?
Ardor, que é de ti?Senhora a obrar,
Ante vós, meu cólon está vazio.
Quem vem cagar em ti o que é meu?
Obrar alto, cheiro pr’a mim,
Ardor meu sem fim!Ai, negras águas, salpicos de mágoas,
Sujaram-me o recto ao peidar.
Ele não te torna a sujar!
E ninguém vos vê cagar,
Senhora a obrar!Quem vem tira as meias, as calcinhas e zás
Nesta fossa, nesta casa sem sanita?
Ardor, que é de ti?Ai, negras águas, salpicos de mágoas,
Sujaram-me o recto ao peidar.
Feridas com sal, rego em brasa…
Deixa teu rabo
Arder longe do meu!

Canzana No Chão

A grande música vencedora do "Chavascal do Nabão 1991"!

Intérprete: Úlcera Fontes
Letra e música: José Com Ponta

Malho
Olhar a dureza bem
Malho
Estremecer sem calor
Malho
Só quando tu te vens
Arrancar com os meus joelhos
Um grito de dor

Mas
Não me ponho assim no chão
Esses tacos de madeira
Que os joelhos vão gemendo também
Oh não, não me ponho assim no chão
Para gozares desse lado
E voltares a dar em mim
Porque quero levar na perdiz
Mas assim torço o nariz
Não quero, o malho assim faz doer

Malho
Choramingar estas posições
Malho
Lembrar esse ardor
Malho
Só quanto tu te vens
Arrancar com os meus joelhos
Um grito de dor

Mas não me ponho assim no chão
Esses tacos de madeira
Que os joelhos vão gemendo também
Oh não, não me ponho assim no chão
Para gozares desse lado
E voltares a dar em mim
Eu sei desse lado ficas sem voz
Cheio de prazer da canzana
Com a tenda quase eterna
Porque quero levar na perdiz
Mas assim torço o nariz
O Malho
Não tem de me fazer sofrer

I Tertulia (Tortura) PENAL

Meus caros há muito que os vossos punhos esperavam agitada depravação... A primeira Tertulia vai finalmente sair do Bordel, perdão... Papel!

No sábado, dia 28 de Março pelas 18 Horas, encontro marcado no Largo Camões para uma ida à ginga e depois a um restaurante a confirmar. O Jantar está previsto ficar 12 euros (ainda não confirmado).

Tragam o vosso material Lascivo e venham conviver nesta deslumbrante fricção proso/poética de 3º nível.

Façam a vossa pré-reserva até dia dia 25 de Março!!!

Formulário de Pré-Reserva
A carregar...

Como chegam ao blog da PENAL

Alguns dos participantes no blog devem questionar-se quantas visitas médias diárias temos? Andamos à volta de 40 visitas únicas diárias. Não é muito mas tendo em conta que quem publica são à volta de 10, os restantes chegam através de diversas formas, uma das quais são as palavras chave nos motores de busca.
E que palavras são as mais usadas? Deixo uma lista em baixo: - Sergay; - Senhordosanais - o senhor dos anais - cricas - ser gay - prostituto de luxo - poesia gastronomica - como ser prostituto - pachachas - gajas sendo penetradas por cavalos - qual é a hora do dia do teu auge sexual? - pintelheira maior
Isto são só as mias utilizadas, depois ha umas conjugações bizarras dignas de estudo psicológico...
Vale mais ver "amadoras a masturbar-se frente a uma camera" do que um "homem sexy vestido de pai natal"... pelo menos eu acho.... mas quem pesquisa deve ter opinião divergente.
Estou chocado...

No bordel até dormia

1993: Festival FDP da Tesão

Intérprete: Malhanaquela

Letra e Música: Dacrosta & Malhas

No bordel até dormia

De madrugada entro no bordel
As meninas estão à minha frente
Até fico ao papel
E de repente, a Cidália é minha e tua
Calma, a Cidália é de toda a gente!

Entre um copo de três e um apalpão
Vamos poisar ali
Acalmar a tesão
Porra, era um travesti !!!

Quando cai a noite no bordel
É uma alegria
À noite no bordel
Há sempre uma pega, até ser dia

As pegas na noite
Dão o litro bem caro
Mas fazem bicos até ser dia

A escolha é tua
Badalhoca ou Sado-maso
Amanha de manhã
A carteira está vazia

Quando cai a noite no bordel
É uma alegria
À noite no bordel
Há sempre uma pega, até ser diiiiiaaaa

Fui um porno-star (FMC - 1389)

A Gramofode Portugal orgulha-se mais uma vez de apresentar uma música vencedora do festival medieval da canção!

Intérprete: Será que dás 20?

Letra e Música: Pá Gatão

Fui um porno-star

Era um grupo novo
Com desejos de quecas
Molhar o serafim
Malhar umas jeitosas
E meteram em porcas rameiras
Deram pinadas certeiras
Foram mil produções
Em brasa os nabões
Foram traulitadas de dor

Já foi no Estoril
Em Londres o tau tau
Malhei entre o pernil
Parti o Bacalhau
Ai, foi até estoirar!
Já fui um porno-star!

Era toda uma equipa
E dois produtores
Esgalhando pela sala
A ver os seus actores
E no mundo uma nova cultura
Que tornou muita piça bem dura!
Foram mil produções
Em brasa os nabões
Foram traulitadas de dor

Já foi no Estoril
Em Londres o tau tau
Malhei entre o pernil
Parti o Bacalhau
Ai, foi até estoirar!
Já fui um porno-star!

Foram filmes e filmes
E mais filmes com a gaita no ar
Criaram-se novas estrelas
Sempre a bombar!

Já foi no Estoril
Em Londres o tau tau
Malhei entre o pernil
Parti o Baca…

Nabão (FCM - 1364)

Bem vindos Senhoras e Senhores!

A Gramofode Portugal orgulha-se de apresentar, a canção vencedora desta edição do Festival da Canção Medieval 1364!

Com letra e música: Bobo da Corte, com cítara na mão

Intérprete: D. Toino Encalacrário

Musica: Nabão

Senhora
A meus pés te ajoelhas:
Senhora
Em tua boca meu nabo poisei!
Senhora
Aquilo que fizeste,
Não mereço!
Senhora
Meu nabo trincaste...
E gritei!

Abre a boca
Ai como eu te imploro!
Senhora
O sangue já sai de esguichão!
Eu sei que a senti a quebrar
E eu choro
Senhora
Ao perder meu nabão!

Senhora
De hirudoid eu pedi as remessas!
Senhora
Na gaita perdida
Aprendi a lição!
Senhora
Eu t´ imploro, senhora
Não trinques de novo o meu nabão!
Senhora
Nem que tenha para sempre de usar a mão!

Ardor
Esta dor na vida jamais encontrara!
É tarde!
E no hospital perdido de dor!
Senhora
Que no meu rubro mais duro, seu dente enterrara,
Com todo o fulgor!
Senhora
Se foi castigo,
Não te volto a malhar!

Pussy!!

Pussy (antes conhecida como Floripêga), o novo genérico do programa mais badalado para "criancinhas" da SIC

Pussy!!! A keka está a chegar
A vida é feita de sonhos
A montar irás triunfar!
Pussy, por trás faz mais sentido
Sem penetração não vais lá chegar
(Espero não dar um peido fodido!)

Se queremos ser pêgas
Só temos de o rabo dar
E tal como os rabetas
Abri-lo bem e tentar não cagar

Se quisermos conseguir
O rabo tens de dar
Vamos foder e seguir
E nada de estrabuchar!

Se quisermos ser pêgas
Só temos de as mamas aumentar
E mais uma vez, como os rabetas
Dar o cú e não chorar!!!

Se quiseres podes mamar
E o teu sonho conquistar
Segue com ele por trás
E sei que tu és capaz

PUSSY!!

Taras das garrafas de sagres e manias geriófilas

(inspirado numa famosa personagem de Alexia e Tutu e de O encalacrador Implacável (ver episódio 3) e na música de Marcopolo Viale carroçarias de autocarros lda... eis que produções Vitamosas apresentam: )

Taras das garrafas de sagres e Manias geriófilas

Quando... Você vem com esse nata
E o pãozinho de leite, quente na torradeira
Vêm-me à garganta o pastel,
Sinto a sagres na boca
A regurgitar p'ra você

Você não tem uma linda fronha
E todo o homem sonha
Fugir de você
Vomitando minhas fantasias
Taras de 33cl e manias geriófilas

Uma crosta na mesa, um salgadinho na cama
Com a maior fominha geriófila, você diz que alberga (1)
E a minha cabeça, fica sem cura
Quando você começa, deixa de ficar dura

E parte, e range, e desfalece, e derrete, se veste e foge de mim, me largue, me desagarre me deixe, e tire a dentadura de cima de mim!!


(1) Esta frase teve o gentil patrocínio do criador das obras mencionadas no prefácio deste texto.

O Encalacrador Implacável - Episódio 4

Localidade incerta, algumas dezenas de ânus no futuro

O rabiosque de cristal reflectia os acontecimentos do passado como se estivessem a decorrer no presente, fazendo com que o mundo à sua volta os absorvesse, mudando e adaptando-se. O seu sorriso quase parecia não caber naquela estranha face, de tão grande que estava. Começando a saltitar, com a bata esvoaçando, dirigiu-se cantarolando para uma consola pejada de botões coloridos.
- O plano está a correr melhor do que pensava, AH AH AH! Está mesmo! – deliciava-se, falando para si – O primeiro teste correu bem, agora só falta atacar em múltiplas frentes! O mundo de lascívia e deboche vai ter de acabar! Vou ficar para a história como o hom… ser! que mudou o presente e o futuro!! – gritou, carregando em diversos botões, manivelas e uma ou outra alavanca. Inúmeros orbes de luz materializaram-se ao longo do laboratório, envolvendo corpos nus (alguns bem horripilantes, acreditem) suspensos e aparentemente inertes. Segundos depois, todos eles …

Bolsista e Cu lojista - II - Noticia breve

A crise abala o mundo real mas John Brósh está-se a cagar, é isso mesmo, a libertar dejectos!
Todos os seus produtos cotados estão mais valiosos, principalmente depois das declarações bombásticas de Sergay (sim, ele afinal não é só um mito!): "... eu não me vou alargar muito mais..."
Esta afirmação prova que o seu traseiro continua firme e hirto sem a incontinência que alguns rumores sensacionalistas divulgaram durante os últimos meses.
O Banco de Portugal quis fiscalizar a Bolsa de Valores da Brelaitada mas os Bufarizadores foram eficazes na ocultação de documentos duvidosos. Infiltrados no local relataram que mal entraram nas instalações todos funcionários estavam com as calças em baixo e de rabo espetado para o ar, presumivelmente a ocultar informação!
(mais novidades em breve )

Abre-me o arquivo

Mostrar mais