Interlúdio Encalacrável

Faremos aqui uma pausa na hecatombe espácio-temporal, que tão garbosos valentes nos tem roubado na flôr da vida, mercê dum ignóbil estratagema digno de H.G. Wells e Dona Branca.
Debrucemo-nos agora sobre o corpo moribundo do nosso herói, o (que já não chegará a ser Guarda) Régio, enquanto meditava nos acontecimentos que o tinham levado (e feito levar) àquela mísera condição...

(Música dos ARAKETU - Lírica de Oscar Alho)
"Mal encalacrado/
Você mi deixoouu/
Mal encalacrado/
Você m'abandonoou..."

"Então volta/
mi surpreendi por ditráis/"
Sua vassoura mi fez tão feliiiz..."

*cof! cof!*
A gargantinha de Régio (pra não falar do restante tracto digestivo) estava particularmente irritada, nem com Tuntum Verde ia lá... Aquele humanóide tinha deixado muitas farpas com a sua vassoura , mas a maior permanecia no seu curação...
Nunca mais o iria ver, nem teria oportunidade de lhe agradecer por lhe ter aberto os horizontes...
Noutro tempo, um futuro Guarda Régio começou a olhar com redobrado interesse para o pacote do seu colega Esteves. "Que diabo, o gajo até é giro... Como é que eu nunca reparei nele antes?" Imediatamente largou a peganhenta revista hentai e seguiu o companheiro, trauteando um tema dos Village People, enquanto aquele se dirigia para os urinóis...

No tempo presente outras coisas se passam. Junto a Régio, uma dobra temporal (estranhamente vulvesca) abre-se, deixando sair um desgrenhado motoqueiro. Sem mota.
Pois este não era senão Ganryubigu, o MadMax Peidimensional, perdido num arco narrativo desprezado pelo autor, ainda e sempre em busca do seu amor perdido, Sissi, a Condessa da Crica!
"Epá, qu'é que t'aconteceu?" - disse ele para o prostrado Régio.
"Fui encalacrado, e mal..."
"Estou a ver... Sabes que ainda posso fazer algo por ti."
"Não creio... E-estou muito mal... Devo ter de ser velado com a tampa fechada, todos terão vergonha do modo como fui...*cof!* Menos eu! Finalmente vi a luz!"

O brilho da compreensão faíscou nos olhos de Ganryubigu. Também este pobre desgraçado tinha sido iluminado! A Estimulação Proto-Prostática poderia chegar a qualquer um!

"Vejo que foste abençoado. Mas o teu corpo não teve capacidade para albergar tamanha bênção. Tratarei de te libertar deste sofrimento..."
E antes que Régio tivesse tempo de balbuciar um "obrigadinho", o punho flamejante de Ganryubigu rasgou o ar da noite e as suas entranhas, cauterizando os ferimentos de Régio e proporcionando-lhe um segundo Nirvana, este final e redentor.
E entesador, pois o corpo de Régio, agora miraculosamente regenerado, equipava uma valente erecção!

"Parece que sempre te vão velar com a tampa aberta."

Comentários

alphatocopherol disse…
APRE!!! Mas que vem a ser isto???? SADOMASOPREPSEUDONECROFILISMO!

Ou então não!
Chas. disse…
Apree...imaginação prostática... deves ter ensaiado bastante!
Anónimo disse…
Apre!! Twists paradimensionais e alternativos a realidades alternativas de realidades alternativas???

Desde que não seja uma dobrada temporal - que eu não sou grande apreciador de tecidos intestinais com feijão - por mim está tudo bem!!

Mensagens populares deste blogue

Super Homo - parte o 1º

Super Homo - Apre!