Sissi, ou a História de Uma Paixão

Sissi, como qualquer jovem aristocrata, era uma cortesã treinada na arte de foder. Mas tinha um limite e esse, agora, estava a ser esticado até aos limites do tolerável. Já não era a primeira vez que Laurindo se introduzia daquela maneira descuidada pela porta das traseiras, sem sequer se dar ao trabalho de pôr lubrificante. Mas Laurindo deixava-se vencer facilmente pela lascívia, e a visão daquele traseiro empinado à sua mercê era demais para os seus instintos.
"Ooohh!" gemia Sissi, enquanto Laurindo aumentava a cadência dos seus movimentos e a dor inicial dava lugar a um prazer voluptuoso... Não faltava muito para que...
"Ah... Ah... Uuuunh!" bufou Laurindo como um touro, enquanto derramava a sua cálida semente naquela estreita abertura.
Foi então que Sissi se indagou se não estaria a ceder demasiado às ondas da paixão.
Isso, e onde estaria o último tubinho de Halibut.

(continua...)

Comentários

Chas. disse…
Texto eroticamente quente, quero essa continuação
alphatocopherol disse…
pornográfico diria... lol já tou em pulgas pela continuação!!!

oh si.... vou só ali ao wc :P
Anónimo disse…
Gostaria de saber o que é um texto eroticamente frio...

Mensagens populares deste blogue

Super Homo - parte o 1º

Super Homo - Apre!