Feromonas da Maria Inês - A Realidade - Fim

… Maria acorda em cima de sua cama completamente nua, ainda bastante confusa, sem ter a certeza se tudo tinha acontecido realmente… Não estava cansada, seu corpo limpo não cheirava a nenhum desgaste físico recente. Antes pelo contrário sentia-se como nova e acabada de sair de um banho afrodisíaco. Devia ter sido apenas mais um sonho, de alucinações provocadas pelo desejo árduo da conquista sexual…

Ao chegar ao laboratório lembrou-se das amostras do dia anterior, os resultados apontavam unicamente para etanol… Ficou confusa… Etanol?! Gases de etanol? Só se tivessem sido provocados pela masturbação com a garrafa de Absinto Puro… realmente ela tinha ficado quase vazia… Ou então pela de Jagermeister que estava dois dedos ao lado…

Saiu contente do laboratório, afinal tudo tinha acontecido mas continuava sem fazer a mínima ideia porquê. Correu e foi para a banheira de hidromassagem enfiar todos os dildos afrodisíacos em forma de pénis de elefante e rinoceronte, reproduzidos ao tamanho real. E assim se contentou durante horas até a água ficar semi-gelatinosa tal foi o aquecimento que os polímeros sofreram.

O passeio acabou por ser adiado para o fim da tarde. Havia algo de estranho à sua volta, afinal de contas não ouvia nada, parecia um campo deserto. Sentou-se numa rocha granítica contemplando o por do sol, já não fazia isso há algum tempo, desde que foi agradavelmente violentada pelos guardas florestais e pelos comandos que passavam num treino militar, contou-se na altura que até a artilharia pesada sofreu danos irreversíveis. Deixou o sol abraçar o horizonte… sentada tentou ouvir pelo menos algum animal, mas nada…Nada mesmo. Tinha exterminado tudo?! Não era possível… Sentia uma certa nostalgia, já não iria ter os mesmos orgasmos que tinha tido quando foi atacada por eles… Olhou fixamente para si, como recordando tempos antigos… Algo dentro de si brilhava no escuro… Seus genitais eram fluorescentes!!! Ficou tão excitada que desmaiou…

Acordou violentamente, num grito de prazer, um homem segurava na sua mão… Agarrou em Maria Inês e desapareceram…

Durante anos ouviram-se ecos de prazer em todo no sistema solar, era como um pulsar bem longe, sempre na mesma frequência…

Comentários

alphatocopherol disse…
jergeinmeisenbunwierdenbeisenweiden
João disse…
Apre, que história ninfomaníaconfusa!!! E uns toques aqui e ali de química, porque será? lol

Mensagens populares deste blogue

Super Homo - parte o 1º

Super Homo - Apre!