Feromonas da Maria Inês - A Natureza - (Continuação)

Maria Inês depois de se alimentar com esperma de cavalo transgénico em flocos de milho com feromonas de sapo (de modo a garantir a defesa contra os insectos) e mel reforçado com pimenta afrodisíaca (extraída de umas ervas indianas que plantava na horta) deitou-se, dormindo umas boas horitas.
Ao acordar já recomposta do dia anterior dirigiu-se até ao laboratório onde recolheu um pouco dos seus gases matinais para análise espectral. Depois de tudo concluído voltou-se para o passeio matinal.
Andou, andou e andou, não sentindo nenhum animal nas redondezas, estava tão admirada que decidiu masturbar-se ali mesmo.
Continuou caminhando enquanto recolheu umas ervas para investigação, nisso começou a ouvir muito ao longe passos, passos muito pesados que aumentavam de intensidade com o passar do tempo. Ficou ali sentada com o seu corpo nu sobre as ervas afrodisíacas esperando que a tal coisa se aproximasse. As ervas começaram a transferir seus compostos afrodisíacos para os genitais de Maria, fazendo com que ela começasse a ter tremores de prazer sobre o chão e rolando deitada pelo vale abaixo, gritando e gemendo como estivesse a ser possuída pelo Deus do Amor. O som dos passos estava cada vez mais perto, aproximando-se ao ritmo dos gemidos, transformando aquele vale numa orquestra sexual e igualmente horrenda. Maria gemia mais que no dia anterior, seus berros alcançavam quilómetros fazendo eco durante minutos...

...tinham passado horas de prazer e os passos já tinham findado. Ela estava com ar feliz, sentindo que tinha sido possuída por algo divinal, a Natureza tinha saciado seus desejos nela.

Mas ela não sabia que mais estava para vir. Do céu surgiu um clarão azul, e uns zumbidos afrodisíacos fizeram-na erguer-se do chão, começando a pairar no ar gritando estridentemente enquanto gotas de sémen esverdeado caiam de seu corpo para cima das ervas... Enquanto gemia suas curvas reluziam num clarão azul claro... As ervas afrodisíacas erguiam-se, crescendo vorazmente até altura de Inês... cresceram e enrolaram-se ao seu tronco, transformando-a num animal sexual! Seus seios duplicaram de tamanho, todas as curvas em si se aperfeiçoaram, uma mulher perfeita tinha saído dentro dela, uma verdadeira Diva do Sexo. Seu prazer ergueu-se cada vez mais alto, mais perto do zumbido, até que num berro de prazer máximo desfez em pó as ervas que a rodeavam, relampejando num clarão que iluminou de prazer todo o planeta.

(Continua ou não...)

Comentários

alphatocopherol disse…
eu realmente senti uns cheiros estranhos quando passeava por sitios curiosamente requimteados

Mensagens populares deste blogue

Super Homo - parte o 1º

Super Homo - Apre!